×
SESC

14 Set 2017 17h29

Perturbações Espirituais

 Perturbações Espirituais

“Vivemos em um universo constituído de energia que se expressa em ondas, vibrações, mentes e ideias, condensando-se em matéria e voltando ao estágio inicial incessantemente. Nele tudo vibra, pois que não existe o repouso absoluto nem o absoluto caos. [...]

A matéria, nesse indefinível oceano vibratório, é a energia condensada, que, após a vigência do seu ciclo, retorna ao campo de origem. O ser humano, durante o périplo carnal, é o princípio inteligente do Universo, desenvolvendo os sublimes tesouros que nele jazem adormecidos, e através de sucessivas reencarnações, atinge o estágio de vibração sublime, quando se torna Espírito iluminado. [...]

Sob a ação gloriosa do Deotropismo, a sua é a fatalidade da plenitude. Enquanto transita pelas faixas mais grosseiras do processo evolutivo, submete-se às injunções penosas que lhe rompem as couraças da ignorância para facultar-lhe o discernimento, que o alça ao conhecimento e à liberdade. [...]

A cada ação sucede-lhe uma reação equivalente. No imenso obscurantismo em que se demora a Divina Providência tem tido o cuidado de enviar-lhe Embaixadores sábios que o têm tentado despertar para a realidade espiritual que lhe é legítima. [...]

Jesus sabia dos limites humanos e compreendia-os ampliando a sua compaixão, prometeu enviar o Consolador em hora própria, quando as dores fossem superlativas e a compreensão mental mais elevada, de modo a entender-lhe os supremos postulados. A legião de seres bem-aventurados, que constitui o Consolador, traz o Mestre de volta, e vem desvelando o significado profundo da existência, os valores altíssimos da existência física, diluindo os mistérios que ocultavam a vida transcendental e demostrando de maneira vigorosa esse intercâmbio entre as duas faces da realidade: a material e a espiritual.

[...] Graças à Lei das Afinidades, há uma poderosa atração entre os semelhantes vibratórios, especialmente no que diz respeito ao campo moral e intelectual.” Manuel Philomeno de Miranda (Introdução).

Esclarecimentos e Advertências

“No silêncio que se fez espontaneamente, o irmão Macário, após a médium haver adquirido a consciência lúcida, esclareceu:

- Quando o imperador Diocleciano, instigado por Galério, no inverno de 303, deu início à mais feroz perseguição aos cristãos, iniciada no dia 24 de fevereiro, os verdadeiros discípulos de Jesus perderam todos os parcos direitos que desfrutavam e foram convocados ao testemunho. Alguns mais frágeis renunciaram à crença libertadora, enquanto outros tivemos a honra de oferecer a vida física em demonstração de amor a Ele, que também nos houvera doado a Sua anteriormente.” [..]

“Eis-nos, pois, a serviço do Sublime Amigo e Benfeitor, nesta grave situação que o Consolador enfrenta na Terra".

“Vindo dar cumprimento de não nos deixar órfãos, o Espírito de Verdade e os luminares da Erraticidade superior multiplicam os santuários de educação espiritual, a fim de atenderem a Humanidade na grande noite que procede o alvorecer da Era Nova” [...]

“Voltando-se para os companheiros encarnados, envolvidos nos conflitos graves promovidos pelos adversários de Jesus, falou-lhes com ternura paternal:

- Esta é uma luta inglória, cujos danos repercutirão no vosso destino.”

“Recordemos que Ele nos ensinou que o escândalo é necessário, mas infeliz o escandaloso, porque as Leis dispõem de mecanismos especiais para educar, não necessitando que uma retificação dê lugar a futuros sofrimentos”. [...]

“É tempo de dialogar, em vez de competir, de ajudar, não de criar embaraços. A queda de alguém, a quem somos inamistosos, é razão de preocupação social, porque, quando um trabalhador tomba, o grupo fica ameaçado” [...]

“Dissolvei o veneno da maledicência, ajudando-vos como anteriormente, corrigindo o que se faça necessário e  lembrando-vos que tereis que dar conta da vossa administração, da vossa conduta, das vossas ações.” [...]

“O êxito do grupo social depende do membro mais frágil, que pode ser o acesso ao desequilíbrio geral. Indispensável, portanto, que a solidariedade viceje entre todos, mediante o auxílio recíproco, a tolerância fraternal, recordando-vos que todos passais ou já vivestes essa fase primitiva.” [...]

“Permanecei no bem e sereis dulcificados e felizes, porque nenhum mal pode haver onde se encontra a Mensagem de Libertação.” [...]

“O diretor da Sociedade orou em profundo recolhimento, encerrando a reunião, e os cooperadores encarregados de conduzir os companheiros encarnados aos seus destinos iniciaram a atividade, enquanto que nosso grupo sob a direção do amoroso Dr. Bezerra de Menezes, acercou-se do venerando Macário, a fim de permutar experiências.” (Manoel Philomeno de Miranda. Pertubações Espirituais. Psicografia de Divaldo Franco. Editora Leal. Cap. 11)