×
SESC

04 Nov 2017 17h57

Meninas do barulho

Devemos fazer como Jesus, que ao chamar os apóstolos para integrar o Seu grupo de auxiliares não vacilou em chamar João Evangelista, quase uma criança. Jesus foi o primeiro a confiar nos jovens e nenhum deles O decepcionou. Para os jovens bem aproveitarem os ensinos, Ele, Jesus, é que deve ser o Mestre. Criar Mocidade para não respeitá-la, é melhor mesmo não tê-la.[...] Feliz do presidente e da diretoria que acreditam na infância e na juventude espíritas, levando até elas a Codificação e o exemplo dos grandes espíritos.” ¹

Avançemos um pouco na linha do tempo, apresentando um relato sobre o episódio de Hydesville, conhecendo a participação de  jovens no começo do Espiritismo.
MENINAS DO BARULHO - A HISTÓRIA REAL DAS IRMÃS FOX DE HYDESVILLE
Os fenômenos psíquicos que ocorreram em Hydesville deram início a uma série de investigações sobre a comunicabilidade dos espíritos. Houve então  um favorecimento ao estudo da mediunidade, isto é, da faculdade humana de perceber e transmitir a influência dos espíritos de modo ostensivo.
A família Fox contribuiu de modo bastante claro para que os homens sérios e pesquisadores argutos e honestos se interessassem pelo estudo dos fenômenos que estavam, desde há muito, relegados ao ocultismo.
 
A CABANA DOS FOX
Era uma casa pequena, simples, de madeira, cujo terreno era protegido por uma cerca de rancho.
 
O FANTAMA DE HYDESVILLE
Um senhor chamado Michael Weakmann ouviu estranhos ruídos do lado de fora de sua casa. Procurou saber o que se passava, investigou e não encontrou a causa das perturbações sonoras. Como os ruídos continuassem a acontecer de modo insistente, muito incomodado, Weakmann mudou-se de Hysdeville para um outro lugar.
Em dezembro de 1847, a família Fox se mudou para a mesma casa onde Weakmann havia morado. Mas, algo havia de estranho com aquela casa, pois todos os vizinhos a consideravam muito esquisita.
Nas primeiras noites que passaram nela, os Fox ouviram estranhos ruídos. Só no ano seguinte é que os ruídos foram mais perturbadores. Eram pancadas fortes e rápidas na madeira das portas e das paredes.
Cansada, Margaret concluiu e alertou o marido:
- Esta casa está assombrada por um espírito infeliz e sem repouso. Já ouvi falar de casos assim.
 
CONVERSANDO COM O FANTASMA
Numa noite de 31 de março de 1848, os Fox resolveram dormir um pouco mais cedo, não se deixando perturbar pelos barulhos. [...] Khaterine (Kate) estava com 11 anos de idade, Margaret (que herdou o nome da mãe) com 14, sendo que Leah, a mais velha, já estava casada e não morava mais com os pais. As duas mocinhas, corajosamente, procuraram imitar os ruídos fazendo barulhos semelhantes com os dedos. Kate, a caçula, disse, batendo palmas:
- Sr. “Pé-Rachado”, faça o que eu faço.
Imediatamente seguiram-se batidas em número igual ao de palmadas dadas por Kate. Quando ela parou, os barulhos pararam também.
A senhora Fox pensou, pensou, e resolveu fazer um teste.
- Diga-me, ó ser invisível, as idades de meus filhos na ordem de nascimento deles.
As batidas recomeçaram, dando a idade exata de cada uma das crianças, fazendo uma pausa de um para o outro, a fim de os separar, até o sétimo. Depois houve uma pausa maior e ouviu-se três batidas mais fortes, correspondendo à idade do menor, que havia falecido. Muito admirada, a mãe perguntou ao ser invisível e inteligente:
- És por acaso, um ser humano que me responde tão corretamente?
Não houve resposta. O silêncio foi total. Margaret, a mãe, mais uma vez perguntou:
- Você é um espírito? Se for dê duas batidas.
As batidas foram ouvidas, mostrando que estava ali presente uma entidade espiritual que tentava comunicar-se com aquelas pessoas. A Sra. Fox, aproveitando a oportunidade, continuou a perguntar:
- Se for o espírito de alguém que foi assassinado, dê duas batidas.
Ouviram-se, nitidamente, as duas batidas.
- Foi assassinado nesta casa?
Outras duas batidas aconteceram.
- A pessoa que o assassinou ainda vive?
Foram dadas duas batidas, confirmando.
 
PRIMEIRAS SESSÕES ESPÍRITAS PÚBLICAS
Conversando desse modo com o espírito, a senhora Fox conseguiu saber que ele havia vivido na Terra, fora assassinado naquela casa e seu corpo havia sido enterrado na adega. Sua família era constituída de esposa e cinco filhos, dois rapazes e três meninas. Todos eram vivos ao tempo de seu assassinato, mas a sua esposa já havia falecido também. Margaret teve outra ideia:
- Continuará a bater, se eu chamar os vizinhos para que também escutem?
O espírito respondeu que sim.
Começou, então naquela casinha, uma conversa muito interessante entre pessoas e um fantasma, na primeira sessão “espírita” pública.
...Só cinquenta e seis anos mais tarde, foi feita uma descoberta que provou, acima de qualquer suspeita, que alguém realmente havia sido enterrado na adega da Casa dos Fox. Tal descoberta foi feita por meninos de escola, que brincavam na adega da casa de Hydesville, conhecida como “a Casa Assombrada”.²




¹ (Cascata de Luz Irene Pacheco Machado, Ditado Pelo Espírito Luiz Sérgio, pág. 72)
² Livro Meninas do Barulho: A História real das irmãs Fox de Hysdeville. L. Palhano Jr. Bragança Paulista – SP: Instituto Lachâtre, 2013, 2ª edição.