Fechar [X]

Escola Web de Espiritismo


Prezado amigo, a Revista Auta de Souza disponibiliza a você cursos doutrinários através da Escola Web de Espiritismo.

Participe!

Veja abaixo os livros e seus respectivos cursos gratuitos:

Adquira o livro, envie a imagem da folha de rosto da obra que deseja fazer o curso com seu nome completo, CPF, cidade/estado, email para o seguinte endereço eletrônico:

eadautadesouza@gmail.com

Em seguida lhe enviaremos login e senha para que possa participar do curso escolhido.

Venha estudar conosco!

Assine agora

Receba nossas novidades em seu email
Mande sua pergunta. Adoraríamos ouvir você.
Digite o resultado da soma:
2+1=
Estudando o Evangelho » A vontade dirigida ao bem, em O Evangelho segundo o Espiritismo

A vontade dirigida ao bem, em O Evangelho segundo o Espiritismo

Disponível em: Português

    A vontade dirigida ao bem, em O Evangelho segundo o Espiritismo

A vontade[1] é o requisito essencial para a prática do bem, o motor que aciona o ser para tornar reais em si as virtudes cristãs[2]. É condição sem a qual não ocorre a prática do bem.[3] Quando dirigia ao bem, a vontade é investida de uma potência superior[4]. Esta boa vontade, porque direcionada ao bem, deve estar à disposição da prática das virtudes cristãs[5]. A felicidade ou infelicidade depende de termos ou não a vontade disposta ao bem[6].  

Ainda sob o aspecto de sua intensidade, a boa vontade é associada com o qualificativo forte, surgindo a designação vontade boa e forte, pronta para a divulgação dos ensinos do Cristo.[7] Em paralelo, a vontade fraca propicia queda durante as provas,[8] que são, pela bondade divina, sempre proporcionais às nossas forças e, se fracassarmos, é por falta de vontade, não de condições[9].

[1] Todas as citações referem-se a ALLAN KARDEC, O Evangelho segundo o Espiritismo. Taguatinga: Editora Auta de Souza, 2ª ed., abril de 2014, e grafadas assim: capítulo, item, página. Exemplo: 2, 3, 52, ou seja, capítulo 2, item 3, página 52. Os textos referentes à Introdução, serão grafados assim: Introdução, página.

[2]“É apenas um encorajamento que vos damos. Deus permite que nos manifestemos a vós somente para vos estimular o zelo e a virtude. Mas, se as desejásseis pôr em ação, bastaria o auxílio de Deus e da vossa própria vontade: as manifestações espíritas se produzem especialmente para aqueles que têm olhos fechados e corações indóceis.” (13, 12, 180)

[3]“Nossos maus instintos são o resultado da imperfeição de nosso próprio Espírito e não de nosso organismo. Se fosse de forma diferente, o ser humano se eximiria de toda espécie de responsabilidade. A melhoria própria só de nós depende, pois qualquer pessoa, cujas faculdades estão sadias, possui em todas as circunstâncias a liberdade de agir ou não agir. Para fazer o bem só lhe falta a vontade.” (28, 18, 326)

[4]“Por essa razão, aquele que, a uma grande potência fluídica normal, agregar uma fé ardente é capaz, pela vontade dirigida ao bem, de operar esses singulares fenômenos de cura e outros que antigamente eram considerados como prodígios, mas são, simplesmente, consequências de uma lei natural.” (19, 5, 246)

[5]“O trabalhador da última hora tem direito ao salário, mas é necessário que sua boa vontade tenha estado à disposição de quem devia empregá-lo e que seu atraso não seja fruto da preguiça ou da má vontade.” (20, 2, 252)

[6]“Assim, o ser humano é, constantemente, o árbitro da sua própria sorte; pode abreviar seu suplício ou prolongá-lo indefinidamente; sua felicidade ou sua infelicidade dependem da vontade que tenha de praticar o bem.” (27, 21, 308)

[7]“Pessoas de bem, de boa e forte vontade, uni-vos para continuar em grandes proporções a obra de propagação da caridade! Encontrareis a recompensa dessa virtude no seu próprio exercício. Não há alegria espiritual que ela não proporcione já na vida presente. Sede unidos! Amai-vos uns aos outros segundo os preceitos do Cristo. Assim seja!” (13, 12, 181)

[8]“Qual será, então, sua conduta nessa família? Dependerá da maior ou menor persistência das boas resoluções que tomou. O contato incessante com os seres a quem odiou constitui terrível prova, sob a qual não raro sucumbe, caso sua vontade não seja bastante forte.” (14, 9, 195)

[9]“Deus não dá uma prova superior às forças daquele que a solicita; permite só aquelas cuja execução é possível. Se fracassamos, não é por falta de condições, mas de vontade.” (14, 9, 196)

 A vontade própria, boa, forte, esforçada e firme são proteções contra quedas e tropeços no caminho evolutivo.A inabalável vontade no bem[1] e a vontade de corrigirmos nossas imperfeições[2] é condição básica para estancar os processos obsessivos[3].  

     Resulta necessário ativar a vontade, transformá-la em ação. Esta vontade ativa desencadeia as forças da alma,[4] dentre as quais está a fé, definida como vontade de querer[5]


[1]“Cada imperfeição é uma porta aberta à influência deles, ao passo que são impotentes e renunciam a qualquer tentativa contra os seres perfeitos. Tudo o que possamos fazer para afastá-los será inútil, se não lhes opusermos uma inabalável vontade no bem e uma renúncia absoluta ao mal.” (28, 3, 316-317)

[2]“Senhor, sustentai-nos em nossa fraqueza; inspirai-nos, pela voz de nossos anjos guardiães e dos bons Espíritos, a vontade de corrigirmos nossas imperfeições, a fim de obstar aos Espíritos impuros o acesso à nossa alma.” (28, 3, 317)

[3]“Os Espíritos sedutores se esforçam para desviar-nos do caminho do bem, sugerindo-nos maus pensamentos. Aproveitam-se de todas nossas fraquezas, como de tantas outras portas abertas que lhes dão acesso em nossa alma. Há os que se agarram a nós como uma fera sobre sua presa, mas se distanciam assim que se reconhecem impotentes para lutar contra nossa vontade.” (28,11,323-324)

[4]“A fé é o sentimento, inato no ser humano, quanto à sua destinação futura; é a consciência que possui das imensas faculdades, cujo embrião foi depositado nele, a princípio em estado latente, e que ele deve fazer eclodir e crescer por meio da sua vontade ativa.” (19, 12, 250)

[5]“Mas o Cristo, que realizou milagres materiais, mostrou, por esses mesmos milagres, o que pode o ser humano quando tem fé, isto é, a vontade de querer e a certeza de que esta vontade pode se realizar.” (19, 12, 250)

Referência ------------------------------------------------------------------------------------------

 [1] Todas as citações referem-se a ALLAN KARDEC, O Evangelho segundo o Espiritismo. Taguatinga: Editora Auta de Souza, 2ª ed., abril de 2014, e grafadas assim: capítulo, item, página. Exemplo: 2, 3, 52, ou seja, capítulo 2, item 3, página 52. Os textos referentes à Introdução, serão grafados assim: Introdução, página.

[1]“É apenas um encorajamento que vos damos. Deus permite que nos manifestemos a vós somente para vos estimular o zelo e a virtude. Mas, se as desejásseis pôr em ação, bastaria o auxílio de Deus e da vossa própria vontade: as manifestações espíritas se produzem especialmente para aqueles que têm olhos fechados e corações indóceis.” (13, 12, 180)

[1]“Nossos maus instintos são o resultado da imperfeição de nosso próprio Espírito e não de nosso organismo. Se fosse de forma diferente, o ser humano se eximiria de toda espécie de responsabilidade. A melhoria própria só de nós depende, pois qualquer pessoa, cujas faculdades estão sadias, possui em todas as circunstâncias a liberdade de agir ou não agir. Para fazer o bem só lhe falta a vontade.” (28, 18, 326)

[1]“Por essa razão, aquele que, a uma grande potência fluídica normal, agregar uma fé ardente é capaz, pela vontade dirigida ao bem, de operar esses singulares fenômenos de cura e outros que antigamente eram considerados como prodígios, mas são, simplesmente, consequências de uma lei natural.” (19, 5, 246)

[1]“O trabalhador da última hora tem direito ao salário, mas é necessário que sua boa vontade tenha estado à disposição de quem devia empregá-lo e que seu atraso não seja fruto da preguiça ou da má vontade.” (20, 2, 252)

[1]“Assim, o ser humano é, constantemente, o árbitro da sua própria sorte; pode abreviar seu suplício ou prolongá-lo indefinidamente; sua felicidade ou sua infelicidade dependem da vontade que tenha de praticar o bem.” (27, 21, 308)

[1]“Pessoas de bem, de boa e forte vontade, uni-vos para continuar em grandes proporções a obra de propagação da caridade! Encontrareis a recompensa dessa virtude no seu próprio exercício. Não há alegria espiritual que ela não proporcione já na vida presente. Sede unidos! Amai-vos uns aos outros segundo os preceitos do Cristo. Assim seja!” (13, 12, 181)

[1]“Qual será, então, sua conduta nessa família? Dependerá da maior ou menor persistência das boas resoluções que tomou. O contato incessante com os seres a quem odiou constitui terrível prova, sob a qual não raro sucumbe, caso sua vontade não seja bastante forte.” (14, 9, 195)

[1]“Deus não dá uma prova superior às forças daquele que a solicita; permite só aquelas cuja execução é possível. Se fracassamos, não é por falta de condições, mas de vontade.” (14, 9, 196)

 [1]“Cada imperfeição é uma porta aberta à influência deles, ao passo que são impotentes e renunciam a qualquer tentativa contra os seres perfeitos. Tudo o que possamos fazer para afastá-los será inútil, se não lhes opusermos uma inabalável vontade no bem e uma renúncia absoluta ao mal.” (28, 3, 316-317)

[1]“Senhor, sustentai-nos em nossa fraqueza; inspirai-nos, pela voz de nossos anjos guardiães e dos bons Espíritos, a vontade de corrigirmos nossas imperfeições, a fim de obstar aos Espíritos impuros o acesso à nossa alma.” (28, 3, 317)

[1]“Os Espíritos sedutores se esforçam para desviar-nos do caminho do bem, sugerindo-nos maus pensamentos. Aproveitam-se de todas nossas fraquezas, como de tantas outras portas abertas que lhes dão acesso em nossa alma. Há os que se agarram a nós como uma fera sobre sua presa, mas se distanciam assim que se reconhecem impotentes para lutar contra nossa vontade.” (28,11,323-324)

[1]“A fé é o sentimento, inato no ser humano, quanto à sua destinação futura; é a consciência que possui das imensas faculdades, cujo embrião foi depositado nele, a princípio em estado latente, e que ele deve fazer eclodir e crescer por meio da sua vontade ativa.” (19, 12, 250)

[1]“Mas o Cristo, que realizou milagres materiais, mostrou, por esses mesmos milagres, o que pode o ser humano quando tem fé, isto é, a vontade de querer e a certeza de que esta vontade pode se realizar.” (19, 12, 250)

Links

» Home » Editora Auta de Souza » Escola Web » Fale Conosco

Editorias

» Galera Jovem » Missionários do Bem » Como Fazer na Casa Espírita » Atualidades » Cantinho da Criança » Espaço do Evangelizador » Os Espíritos Respondem

Artigos

» Ciência e Espiritismo » Educação e Espiritismo » Esperanto » Estudando o Evangelho » Mediunidade » Universo e Vida » Français » English » Español

Diversos

» Criança em Cena » Histórias da Vovó » Espiritismo em Esperanto » Espiritismo em Inglês » Aprenda a tocar

Seções

» Auta de Souza » Concafras » Chico Xavier » Conheça o Espiritismo
Copyright © Revista Auta de Souza - Todos os direitos reservados