×
SESC

02 Set 2017 17h57

Sexo, festas, shows e bares

Festa da Perdição – O plantio é livre mas a colheita obrigatória.


Personagens: Luiz Sérgio, Enoque, Sadu, Samita (Equipe espiritual) e jovens encarnados
Ambiente físico e espiritual



“[...] chegamos a um local retirado da cidade, onde a música alucinante fazia mal aos ouvidos. A minha surpresa foi tão grande que arregalei os olhos procurando convencer-me que não era o Umbral da Espiritualidade, só percebendo que era a Crosta pelas entidades coladas aos jovens encarnados, aspirando, junto a eles, as mais estranhas misturas. Tive que fazer força para não me desequilibrar. Ali era o inferno mesmo. Jovens meninas com fisionomias de bebês, exploradas em excesso pelo uso dos tóxicos. Irmãos, ninguém poderá imaginar uma cena dessas, apenas aqueles que já a presenciaram. Desprezando o aconchego de seus lares, ali se encontravam eles, expostos ao vento e ao frio, completamente despidos, em verdadeira orgia – o inferno da droga!” (p.63).

Atendimento a uma jovem “quase” vítima de violência sexual

“Não conseguia divisar Enoque. Onde se havia metido ele?

Nisso, Sadu nos chamou, pois, um pouco afastado dali, alguém gritava desesperadamente. Correndo de um lado pra outro, uma jovem escondia-se de árvore em árvore. Nós unimos as mãos em oração sentida para ver se conseguíamos salvá-la, porque dez rapazes endoidecidos estavam procurando praticar uma ‘curra’. Acompanhava-os uma legião de espíritos vampirescos! A garota gritava, mas ninguém a escutava. A música alucinante encobria-lhe a voz.

Samita e Sadu trocaram rápidas impressões e logo unimos nossas forças para tirar a jovem daquela situação deprimente. Quase nos materializamos! Os dez saíram correndo apavorados, pois chegamos a nos tornar visíveis. Só assim eles a soltaram. Os obsessores também fugiram, sabendo que os missionários de Jesus estavam ali para ajudar.

A mocinha, com o susto, desmaiara e estava sendo atendida pelos nossos médicos. Tínhamos de procurar algum jovem de bons instintos para cuidar dela. Ouvíamos, depois, contarem aos outros que os ‘marcianos’ chegaram e salvaram a garota, no que não eram levados a sério pelos amigos. Pensavam que se achavam doidos demais e riam zombando deles.”

Luiz Sérgio. Ninguém está sozinho. Psicografia de Irene P. Machado. 18ª Ed. Capítulo 7.
 

Sexo mal conduzido: portas abertas para obsessão

“O sexo, mal conduzido, em razão do envolvimento emocional e das dilacerações espirituais que produz em outrem, como naquele que o utiliza mal, abre campo para terríveis conúbios obsessivos, ao mesmo tempo que, praticado de forma vil atrai Espíritos igualmente atormentados e doentes que se vinculam ao indivíduo, levando-o a processos de parasitose terrível e difícil libertação.

Desvios sexuais, aberrações nas práticas do sexo, condutas extravagantes e desarticuladas das funções estabelecidas pelas Leis da Vida, geram perturbações de longo curso, que não se recompõem com facilidade, senão ao largo de dolorosas reencarnações expungitivas e purifica”

Melhor preventiva para manutenção da saúde moral

“O respeito e a consideração pelas funções sexuais constituem a melhor terapia preventiva para manutenção da saúde moral, assim como o esforço para a recomposição do caráter, quando alguém já se permitiu corromper, ao lado da terapêutica especializada, fazem-se imprescindíveis para a conquista da harmonia.

Ninguém se engane quanto aos compromissos do sexo perante a vida e cuide de não enganar a outrem.
Cada um responde sempre pelo que inspira e pelo que faz.

O sexo não foi elaborado para o prazer vulgar, senão para as emoções superiores na construção das vidas, ou para as sensações compensativas quando amparado pelas dúlcidas vibrações de amor, mantendo a afetividade e a alegria de viver.”

Manoel Philomeno de Miranda. Sexo e Obsessão. Psicografia de Divaldo Pereira Franco. 3ªEdição.


Condutas Importantes

“Vigia a mente e controla o sexo.
Quando pensamentos inusitados te sombrearem os painéis mentais com ideias infelizes; quando afetos dúlcidos se transformarem nos recessos do teu coração em fornalha de desejos; quando a ternura com que envolves os a quem estimas ou amas se te apresentar ardente ou angustiante; quando passares a sofrer dolorosas constrições na organização genésica tem cuidado!

Certamente estarás sendo obsidiado por outros encarnados de mentes vigorosas ou desencarnados infelizes, em trama contínua para te arrojarem nos despenhadeiros da alucinação. Levanta o pensamento a Jesus e a Ele te entrega em regime de total doação, certo de que o Vencedor de todos os embates te ajudará a sair da constrição cruel, encaminhando-te na direção da harmonia. Para tanto, ora e trabalha pelo bem comum, e o bem de todos te oferecerá o lenitivo e a força para a libertação a que aspiras.”

Joanna de Angelis. Florações evangélicas. Psicografia de Divaldo Pereira Franco. Ed.3. Cap.56



Deseja saber mais sobre este assunto? Como abordá-lo com a juventude? Saiba mais neste livro desenvolvido para jovens de 12 à 13 anos: O Jovem e o Sexo, da Editora Auta de Souza.

 


Você pode encontrá-lo, clicando aqui.