×
SESC

16 Set 2017 16h05

Primavera

Autora: Nísia Anália
Personagens: Narrador, Girassol, Margarida, Rosa, Árvore, Passarinho 1 e 2, Borboleta, Primavera, Chuva e Sol.

Cenário: Um campo ou jardim

Narrador: Olá amiguinhos, como estão vocês, tudo bem? Comigo está tudo ótimo, graças a Deus. Sabe, quando eu estava vindo para cá, aconteceu um fato muito interessante. Fiquei observando a Natureza e... Bem, não achem que eu fiquei meio maluco, mas... (Fala como que baixinho para o público) eu estava ouvindo as flores, as árvores e todas as plantas desse lugar conversarem.... Isso mesmo, elas estavam conversando uma com as outras. (Fala com o público) Vocês estão duvidando? Querem ouvir essa conversa? (Incentiva para que digam sim). Então prestem bastante atenção. Todos devem ficar com os olhos bem fechados...

(Entram em cena o Girassol, a Rosa, a Margarida e a Árvore).

Narrador: Muito bem! Agora podem abrir... Era uma vez um lindo campo, onde moravam várias plantinhas. Lá os pássaros, as borboletas e as crianças adoravam passear. Acontece que naquele campo, estava acontecendo algo diferente. As plantinhas estavam muito tristes... Sabem por quê? É porque... Bom, não serei eu que vou lhes contar, ouçam vocês mesmos a conversa entre elas... Muita atenção. (Vai saindo de cena).

Girassol: Veja como estou, amiga Margarida. Minhas folhas já caíram quase todas.
Margarida: E minhas pétalas, vejam como estão! Rasgadas, sem vida...
Rosa: E eu então? Pareço ter apenas espinhos.
Árvore: Eu também quase não tenho mais folhas.
Girassol: O que está acontecendo?

(Nesse instante entram dois passarinhos, cantarolando, e falam):

Passarinhos:
Tudo, tudo nessa vida,
Tem sua razão de ser.
Não fiquem tristes amigos,
Outro dia irá nascer.

Árvore: Bom dia amigos passarinhos.
Passarinhos: Bom dia! Bom dia!
Rosa: Por que vocês disseram, que tudo na vida tem sua razão de ser?
Margarida: Qual é a razão de estarmos assim, despetaladas, sem flores?
Passarinho 1: Estamos com muita pressa, não temos tempo para lhes explicar.
Passarinho 2: Quando a borboleta Borborina aparecer por aqui, perguntem a ela, pois ela é muito sábia e poderá responder as dúvidas de vocês.
Passarinhos: Até logo, já vamos... Mas, lembre-se: (repetem o poeminha anterior e vão saindo).
Todos: Esperem!

(Os passarinhos saem cantarolando).

Girassol: Assim não vale.
Rosa: Eles nos deixaram curiosos.
Margarida: O que faremos?
Árvore: O jeito é aguardarmos a visita da amiga Borborina.

(Nesse momento entra a borboleta Boborina, cantarolando ou, ao som de uma música).

Borborina: Bom dia, amigos! (boa tarde, ou boa noite, de acordo com o horário da apresentação).
Todos: Bom dia, Borborina.
Girassol: Estávamos esperando você.
Borborina: Esperando por mim? Que bom! Mas, para quê?
Rosa: Gostaríamos que nos explicasse a razão de estarmos assim...
Margarida: Por que nossas folhas e pétalas estão caindo?
Borborina: Ora, amigos! Antes de tornar-me borboleta e voar por toda parte, eu era uma simples lagarta a rastejar com muita dificuldade. Para a minha transformação tive que ficar por algum tempo em um casulo, e...
Girassol: O que esse fato tem a ver com nossa situação?
Borborina: É que toda renovação exige algum sacrifício e esforço da nossa parte.
Árvore: Como assim?
Borborina: Para ser uma borboleta, tive antes de passar pelo esforço de ficar em um casulo. Assim, vocês, para terem folhas e pétalas novas, têm antes de passar pelo sacrifício de perder as velhas.

(Nesse momento, entram os dois passarinhos cantarolando e falando).

Passarinhos:
A primavera está chegando
Para a natureza renovar.
Alegria, muita alegria,
É o que ela distribuirá.

Todos: A Primavera?
Rosa: Quem é a Primavera?
Girassol: Será a prima da Vera?
Pass. 1: Não, não é a prima da Vera. Primavera é a estação do ano encarregada de renovar toda natureza!
Pass. 2: É ela que ajudará todos vocês a renovarem suas folhas e pétalas.
Margarida e Girassol: Mesmo?
Borborina: Sim, é isto que eu queria lhes explicar.
Árvore: E quando ela chegará?
Pass. 1: A partir do dia 22 de setembro.
Pass. 2: E esse dia já está chegando!
Todos: Oba! Oba, que alegria!
Borborina: Bom, amigos, agora já tenho que ir embora, tenho muito trabalho a fazer. Até logo.
Passarinhos: Nós também já estamos indo, até breve amigos! (Saem repetindo o poema sobre a chegada da primavera).

(Nesse momento entra o Narrador).

Narrador: As plantinhas ficaram na expectativa. Cada uma imaginando alguma coisa. O que será? Acho que cada uma estava imaginando como seria a primavera e em como gostariam de ficar, ou seja, lindas, lindas. A noite chegou trazendo consigo as estrelas e a lua prateada. Cada plantinha pôs-se a dormir para sonhar em como ficariam com a chegada da estação primavera. Quando o dia estava quase amanhecendo, algo diferente aconteceu. As plantinhas foram acordadas por uma brisa diferente. O que estaria acontecendo?

(Nesse instante, coloca-se uma música, e entra uma menina com roupa bem colorida, bailando, representando a primavera. Ela deverá trazer um cesto em sua mão, contendo algumas folhas e pétalas - de papel ou outro material -, que irá entregando ou colando em cada plantinha da história. Todas deverão mostrar um sorriso bem alegre à medida que forem recebendo. Junto com a Primavera, deverão entrar a chuva - caracterizada - molhando todas as plantas e depois o sol. Concluída esta encenação, a Primavera ficará entre a chuva e o sol).

Girassol: Como fiquei belo!

(Nesse momento pode-se colocar a música O Girassol – Vinícius de Moraes – e ele dançar uma coreografia. Pode ainda acrescentar alguns bailarinos caracterizados de girassóis).

Rosa: E eu? Vejam como estou colorida e bela.
Margarida: Minhas pétalas se renovaram!

(Colocar uma música para que elas se aproximem do público, mostrando a renovação que tiveram).

Árvore: Eu estou novinha. Minhas folhas se renovaram e as flores começam a se abrir. Em breve poderei produzir os meus frutos!

(Ela poderá cantar com todas as crianças a música: Árvore Feliz).

Todos: Obrigada amiga Primavera!
Primavera: Sou eu que agradeço a Deus a oportunidade de ajudar a Natureza se renovar. Que pena que os humanos estão fazendo tantas coisas erradas, que estão prejudicando toda natureza. Sabe, quase não consegui chegar na época certa.
Árvore: Nossa, se a senhora não tivesse chegado, ainda estaríamos feias e tristes, sem poder alegrar o ambiente onde estamos.
Primavera: Isso mesmo! Por isso contamos com as crianças para ajudar a tomar conta da Natureza! Assim, amiguinhos poderei voltar todos os anos, renovando os campos, os vales, as cerras, tornando ainda mais bonito todos os lugares!

(Nesse momento, entram os dois passarinhos e a borboleta Borborina, cantando a música: Primavera de Frankilim José Heibuth e/ou outra que fale sobre o tema).

Letra da música:
Primavera, primavera,
Alegria, alegria
Em toda parte, em minha vida.
Canta o grilo
Sopra o vento
A borboleta voa,
Dizendo ao mundo
A vida é boa

(Após a música, começam a falar).

Passa. 1: Que lindo está esse lugar!
Passa. 2 : Amigas plantas, como vocês ficaram belas!
Borboleta: Vamos cuidar cada vez mais da natureza, para que a nossa amiga Primavera, sempre chegue na hora certa.
Chuva e Sol: Isso mesmo! Então, VIVA A ESTAÇÃO DA PRIMAVERA!
Todos: VIVA!

(Começam a cantar todos juntos, novamente, a música Primavera, e vão se misturando no meio das crianças).